22 fevereiro 2011

Era uma vez...


Há algum tempo atrás,
quando acreditava em conto de fadas,
amores perfeitos e nuvens feitas de algodão doce,
acreditava na verdade e num simples olhar,
eu era mais feliz.
Porque no fundo eu gostava de acreditar em meias verdades,
ou seriam meias mentiras?
Que seja,
eu gostava da falsa sensação de que tudo ia ficar bem,
de que no final...
tudo daria certo,
o bem venceria o mal.
No entanto eu aprendi,
que não existem bem e mal,
existem escolhas,
certas ou erradas.
Não existe um final feliz,
e sim achar a felicidade com o que se tem.
Não existem amores perfeitos,
existem pessoas que se amam
e para isso ultrapassam barreiras.
Não existe o perfeito,
porque a vida nada mais são que os nossos erros
e o que se aprende com cada um deles.
E com isso sigo em frente,
levando uma vida imperfeita,
mas encontrando um motivo pra sorrir
a cada nascer do sol.

Que príncipe que nada,,,

 
Quero alguém que more ali na esquina.
Nada de Ipanema, Ilha, Niterói ou São Paulo
Que seja mais velho do que eu...
Alguém que um filho implique,
o outro faça cara feia
...e minhas amigas achem chato.
Bem mauricinho, que não goste de rock, nem de samba.
Que não ligue pra computador e nem saiba o que é MSN.
Que jogue tênis e faça medicina.
Um cara bem nada a ver comigo,
pra nem eu gostar dele…

Eu vou...

 
Eu não quero saber o que houve no passado... 
Eu quero saber se há lugar para mim no seu futuro.

Enfim...

 
Cansada de tudo que começa. 
Hoje eu queria alguma coisa que continuasse.

21 fevereiro 2011

Simples assim...


Natural...
Entre a gente é tudo tão assim...
Parece que eu fui feita pra você
e quem sabe você pra mim.
Perfeição...
Eu não acredito não.
Se mesmo com defeitos é tão bom,
pra que tão perfeito assim?
Deixa pra lá...
tá muito cedo pra tentar pensar,
em quantas eternidades pode durar esse nosso amor.
É bom assim:
Sem início, meio e fim.
Sem saber onde eu termino pra você
ou onde você começa pra mim.
Amizade...
Tem coisa mais gostosa do que carinho de verdade?
Quando você encosta em mim,
é metade com metade.
Deixa ser…
Não tem mais nada a perder
depois de tudo que ganhei.
Se não der certo pode ser,
quem sabe o prazer do tentei.
Sem temer, sem forçar, sem chorar…
É pra ser assim.
Eu quero estar em você
o tempo que permanecer em mim.
E o pra sempre nem tem tanta importância.
Se eu não sei a distância do seu olhar até o fim,
Se me perco nos teus olhos
e nos teus braços deve ser de verdade.
E se for …
… que seja assim!

Closed...


Você pode fechar seus olhos
para coisas que não quer ver.
Mas não pode fechar seu coração
para as coisas que não quer sentir.

Leitura dinâminca...


Eu quero provar seus verbos.
Seus sujeitos.
Seus objetos.
Eu quero te ler.
Te sublinhar.
Te copiar.
Te reler.

20 fevereiro 2011

Nem tudo é o que parece...


Nem todo sorriso precisava ser de felicidade
Nem toda lágrima precisava ser de saudade
Nem todo olhar precisava ser de caridade
Mas todo eu te amo deveria ser de VERDADE!

Sal à gosto...


Eu gosto
do amor que me gasta
e que me gosta
e que até
quando me desgosta
deixa um gosto
de gostar
com gosto salgado
de a-mar.

Angélica Lins

Sabores...


Sou doce como mel
ou amarga como fel.
Depende de quem me degusta...

19 fevereiro 2011

In love...


Gosto quando você
Segura minha mão...

Me olha com sua alma
E enxerga o meu coração

Violando o silêncio


Hoje...
Você faz com que
eu ouça o som
gritante do silêncio
da sua ausência.

Amanhã...
Posso não ouvir
você chamar por
mim...

Momentos...


O momento mais excitante 
é quando 
você despe minha alma 
e se alimenta
da minha essência...

Talvez...


Tem dias que
Talvez
Eu queira
Tudo ou nada
Talvez eu queira
Ser ou Não
Talvez eu queira
Sentir
Talvez eu queira
Simplesmente ir
Talvez eu queira
Querer
Talvez só queira
Saber
Talvez eu Seja
Emoção ou Razão
Talvez seja
Eu ou nós...
Mas entre tantos
Talvez...
Talvez seja ilusão

Blah...blah...blah


Eu falo com você até quando você não está.
E mesmo sem te ouvir, eu já conheço a resposta.
É claro que eu te quero, mais do que você a mim...
Que filme mais antigo...
Que novelinha mais sem fim...
Que texto ruim...

16 fevereiro 2011

14 fevereiro 2011

Tudo passa quando voce fica...


Mas que bonito é já saber onde não se quer estar.
Passei as mãos pela cabeça
e afastei os cabelos bem demoradamente.
Era tarde demais para desistir de ser feliz.
Continuo sem saber onde está
a agulha para costurar esses maus dias,
e fazer deles uma colcha de esquecimento.
Mas não é por isso que vou parar de acreditar.
Quero forrar as lembranças mais lindas em minha cama
e fazer dormir todas as dores que já senti.

10 fevereiro 2011

De noite na cama...


Sentada no quarto (xícara de café na mão)...
 Tomo a delicada providência de escutar meu coração.
 Penso, por absoluta necessidade de caminhar pelas idéias confusas
e cheias de subtextos.
 O meu coração tem uma lucidez que me confunde,
embora ele saiba o que faz.
Escuto uma música que já conheço,
mas que sempre soa inédita.
A insônia marcou um encontro na cama
com meu desencanto.
E ele, claro ... Veio!
Na cabeceira, os livros me olham
como se reivindicassem entendimento.
O quarto torna-se apertado.
Os assuntos todos sentam-se nas poltronas.
Existem conversas inadiáveis
[àquelas com nossa emoção].
Decido escutar.
Preciso me desfazer desse vazio,
que preenche as coisas não preenchidas.
E nesse direito inviolável de sentir tudo, eu sigo.
Nada mais ficará implícito, não haverá lacunas ou ecos.
Enfim...
depois de uma longa conversa,
o meu coração me entendeu...
No meu sentir, não cabe as tendências.
Onde estará o outro lado?
Onde estão àquelas mãos que conversavam com as minhas?
Não sei aí...
Mas (in)ternamente te digo:
amanhã tem sol aqui.

Angélica Lins

09 fevereiro 2011

Traços....


Esboço uma tentativa sem régua ou compasso
Terminarei antes que escureça
Porque minha poesia é dia
É abraço
E já que o calor te entedia
Descanse à sombra
Enquanto percebo teu traço
Danço a escrita
Para que em letras conheças
Os meus passos...


Angélica Lins

08 fevereiro 2011

Hoje...


Sem a pretensão de ocupar a casa,
sentei-me naquele chão desarrumado dos passos.
Estava tudo tão vazio,
parecia que eu havia sido saqueada.
Cômodos invadidos,
paredes com danos irreparáveis.
No cantinho do riso,
não havia ninguém à sorrir.
O espelho do banheiro,
não estava mais despenteado pela manhã.
E a cozinha,
já não adoçava mais o meu café.
Sentia-me num vão,
sem teto da minha própria emoção.

Angélica Lins

06 fevereiro 2011

Pra rua me levar...

(...)
É... mas tenho ainda muita coisa pra arrumar
Promessas que me fiz e que ainda não cumpri
Palavras me aguardam o tempo exato pra falar
Coisas minhas, talvez você nem queira ouvir
Já sei olhar o rio por onde a vida passa
Sem me precipitar e nem perder a hora
Escuto no silêncio que há em mim e basta
Outro tempo começou pra mim agora
Vou deixar a rua me levar
Ver a cidade se acender
A lua vai banhar esse lugar
E eu vou lembrar você...
(...)
Ana Carolina

(...)


Coloquei tantos pontos finais em nós
que acabamos cheios de reticências.

Ok...


Você venceu...!!!!!
Eu dou o coração a torcer.

Pooh...!!!!!


Se eu sinto falta do seu amor?
Como posso sentir falta se ele nunca existiu,
nem sei que cara ele teria,
nem sei que cheiro ele teria.
Não existiu morte para o que nunca nasceu.

Tati Bernardi

Orgulho...


É do que a vingança se alimenta

É onde a alma se condena

É auto-estima imposta

É renunciar ao que se gosta

É querer a distância mais próxima

É repetir frases de efeito

É ignorar o que vem do peito

É se defender de qualquer jeito

05 fevereiro 2011

É isso...


Quando você encontrar a pessoa
que merece o seu coração,
você vai entender
porque as coisas não funcionaram
com todos os outros.

03 fevereiro 2011

Almas que se encontram...

 
Dizem que para o amor chegar não há dia, não há hora, nem momento marcado para acontecer.
Ele vem de repente e se instala no mais sensível dos nossos órgãos, o coração.
Começo a acreditar que sim.
Mas percebo também, que pelo fato deste momento não ser determinado pelas pessoas, quando chega, quase sempre os sintomas são arrebatadores.
Vira tudo às avessas e a bagunça feliz se faz instalada.
Quando duas almas se encontram o que realça primeiro não é a aparência física, mas a semelhança das almas.
Elas se compreendem e sentem falta uma da outra.
Se entristecem por não terem se encontrado antes, afinal tudo poderia ser tão diferente.
No entanto, sabem que o caminho é este e que não haverá retorno para as suas pretensões.
É como se elas falassem além das palavras, entendessem a tristeza do outro, a alegria, o desejo, mesmo estando em lugares diferentes.
Quando almas afins se entrelaçam passam a sentir saudade uma da outra num processo contínuo de reaproximação até a consumação.
Almas que se encontram podem sofrer bastante também, pois muitas vezes, tais encontros acontecem em momentos onde não mais podem extravasar toda a plenitude do amor que carregam, toda a alegria de amar e querer compartilhar a vida com o outro, toda a emoção contida à espera do encontro final.
Desejam coisas que se tornam quase impossíveis, mas que são tão simples de viver.
Como ver o pôr-do-sol, caminhar por uma estrada com lindas árvores, ver a noite chegar, ir ao cinema e comer pipocas, rir e brincar, brigar às vezes, mas fazer as pazes com um jeitinho muito especial.
Amar e amar, muitas vezes sabendo que logo depois poderão estar juntas de novo sem que a despedida se faça presente.
Porém, muitas vezes elas se encontram em um tempo e em um espaço diferentes do que suas realidades possam permitir.
Mas depois que se encontram ficam marcadas, tatuadas e ainda que nunca venham a caminhar para sempre juntas, elas jamais conseguirão se separar.
E o mais importante ... terão de se encontrar em algum lugar.
Almas que se encontram jamais se sentirão sozinhas.
Porquanto entenderão, por si só, a infinita necessidade que têm uma da outra para toda a eternidade...

(Desconheço o autor)

01 fevereiro 2011

Cá com meus botões...


Às vezes, falta linha para conversar com meus botões.
  
Fabrício Carpinejar

Eu posso, mas eu não quero...

Eu poderia escrever sobre a minha casa nova,
mas isso seria chato.
Eu poderia escrever sobre música,
mas garanto que ele faz melhor.
Eu poderia escrever sobre meus planos,
mas não tenho saco.
Eu poderia escrever que estou apaixonada,
mas seria muito mimimi.
Eu poderia escrever em inglês,
but I don’t want to.
Eu poderia escrever sobre meus desejos
,
mas o post seria censurado.
Eu poderia escrever, simplesmente, “estou feliz”,
mas acho que isso vocês já sabem.
Então tá...vamos dormir.

Só pra variar...


Quero alguém que more ali na esquina.
Nada de Ipanema, Ilha, Niterói ou São Paulo
Que seja mais velho do que eu...
Alguém que um filho implique,
o outro faça cara feia
e minhas amigas achem chato.
Bem mauricinho, que não goste de rock, nem de samba.
Que não ligue pra computador e nem saiba o que é MSN.
Que jogue tênis e faça medicina.
Um cara bem nada a ver comigo,
pra nem eu gostar dele…